segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Vamos falar de negatividade?

Você já teve que tomar uma decisão do nada que despertou o olhar de pessoas negativas? Certamente a resposta foi sim. Nesse post, irei discorrer sobre uma situação atual que me fez refletir muito sobre como as pessoas tem a necessidade de ver o lado negativo de tudo.

Ok, também nunca fui muito positiva, pelo contrário, sempre via o lado negativo de tudo, e isso me fazia muito mal, coisa que só aprendi a desapegar quando passei a estudar mais profundamente o auto-conhecimento, junto com a psicologia junguiana (que ficará para outro post ^^). 

Estava eu super feliz com o andar que a vida estava levando, e derepente meu celular toca; 

''- Olá, Emilly, vi que você vai casar, é verdade? 
- Sim. (já esperando a fala negativa da outra pessoa)
- Não acha que é muito cedo? Você é nova, conhece o rapaz a quanto tempo?
- Menos de 6 meses. 
- Ah sim, traz ele para conhecermos...
- Ta bom. ''

~ FIM. 

A questão que me intrigou, foi que em nenhum momento a pessoa desejou coisas boas, ou disse que estava feliz com o acontecimento, mas sim, duvidou e questionou ironicamente da situação. Mas, por que isso acontece? A meu ver, é uma forma de se sentir bem consigo mesmo, uma forma de torcer pelo mal do outro para amaciar seu próprio ego. O ser ''egóico'', que só pensa em si, e se o outro está menos feliz, então está tudo bem. 

Falta empatia nos corações, olhar o lado positivo das coisas, desejar o bem do outro, ver que nem todos são iguais. Viver nessa era de medo, se entregar a relações é rebelar-se! Eu prefiro me arrepender das coisas que faço por amor, do que me arrepender por viver uma vida sem emoção, seguir padrões nunca foi meu forte. Gosto mesmo é do diferente, mergulhar sem medo, e quando encontro pessoas parecidas com a minha intensidade, mergulho nua, despida de ''e se...'', vou lá e faço sem pensar, afinal só temos uma vida. 

E é isso que desejo meus caros! Que esse novo ano que se inicia seja mais positivo, e que as pessoas possam ser mais solidárias e empáticas. 

Grande abraço 

#Milly



Desenvolvido por: Gabriela Charbe | Todos os direitos reservados.